Tomada de posse - novos órgãos sociais para o biénio 2022-2023 - Confraria dos Rojões da Bairrada



ASSOCIATIVISMO – Antonino Viegas e Miguel Ângelo Roque tomam posse, respetivamente como, Mordomo-Mor e Juiz da Confraria dos Rojões da Bairrada com Grêlo e Batata à Racha.

A Confraria dos Rojões da Bairrada com Grêlo e Batata à Racha viveu, no passado dia 11/07/2022 , mais um momento de grande vitalidade, nas Instalações da sua sede em Oliveira do Bairro, com a tomada de posse dos novos órgãos sociais para o biénio 2022-2023. Fazem parte da lista sufragada em Assembleia Geral realizada no pretérito dia 24 de Junho os seguintes elementos – Assembleia Geral: – Juiz da Confraria – Miguel Ângelo Roque dos Santos Bouça; – Juiz relator – Emília Fernandes de Oliveira Soares :Abrantes; Juiz relator – João Carlos Moreira. Conselho Fiscal: – Presidente – Joaquim Augusto Alves Almeida; Relator – Elisabete Pereira Abrantes Garruço; Relator – Armando Lincho de Castro. – Direção: – Mordomo Mor – Antonino Viegas Gomes; – Mordomos: Secretário – Verónica de Carvalho Roque Bouça; Tesoureiro – Victor Manuel de Almeida Pinto; Lídia Maria Mota Santos Pato; Silvino Manuel da Costa; Maria América dos Santos Silva e Sandra Isabel Martins Paiva. João Pedro Mateus, Juiz da Confraria, deu posse aos novos órgãos sociais, aproveitando a ocasião para louvar todo o trabalho desenvolvido pela Mordomia cessante, num período tão difícil como é do conhecimento geral.

Fundada por escritura lavrada a 08 de Janeiro de 2014 e subscrita por trinta confrades fundadores e oriundos dos oito concelhos da Bairrada, a Confraria dos Rojões tem como fins, a promoção e divulgação desta iguaria, respeitando e preservando a tradição Bairradina, com a sua confeção a partir de carne de porca parideira, beneficiando o soventre, a costela e algum lombo, temperados com sal grosso das nossas marinhas de Aveiro, vagarosamente cozinhados à lareira e mexidos durante três horas. Para acompanhamento, grelos da época e batata rachada cozida com a pele.

O empossado Miguel Roque Bouça, Juiz da Assembleia e membro fundador da confraria, usou da palavra de forma efusiva e calorosa como lhe é habitual, para agradecer a presença à meia centena de sócios presentes, entidades oficiais, amigos e convidados.

No seu discurso pleno de intensidade, teve como pedra de toque, o rigor, a qualidade, a fraternidade e o amor, assim como a contínua divulgação da mais ancestral e tradicional iguaria Bairradina que são os Rojões da Bairrada.

O novo Mordomo-Mor Antonino Viegas, agradeceu a presença de todos e daqueles que, por razões diversas não puderam marcar presença deixando ainda uma palavra de agradecimento aos órgãos sociais cessantes pelo trabalho desenvolvido em prol da Confraria. Apelou a todos os confrades para que retomem a atividade confrádica e que cultivem a amizade, o amor e a união para, juntos engrandecermos a região da Bairrada e os oito concelhos que fazem parte – Aveiro, Águeda, Anadia, Coimbra, Cantanhede, Mealhada, Oliveira do Bairro e Vagos.

No final da sua intervenção, Antonino Viegas convidou todos os presentes a partilharem um momento de convívio, onde não faltou a degustação dos nossos Rojões da Bairrada, cozinhados pelas mãos sábias da nossa confrade Fátima Rito e regados com o sublime néctar “Castanheirinho” – Grande Escolha, gentilmente oferecido pelo nossos confrades Joaquim de Almeida e Maria Ivone Almeida.

A sessão terminou com o habitual momento cultural, preenchido com a intervenção do amigo Eng. Albano, numa fabulosa interpretação do saudoso João Vilaret, “fado falado” que arrancou francas gargalhadas dos presentes. Obrigado Eng Albano, bem haja.

Saudações confrádicas.